Os Voos das Celebridades para os Desfile no Rio, camarote em SP e trio elétrico em Salvador.

    Para se apresentar em diferentes cidades no Carnaval, celebridades contam com aviação executiva para viabilizar a logística 

    Desfilar na Sapucaí em uma noite, apresentar-se em Recife na outra e puxar o trio elétrico em Salvador na manhã seguinte. A rotina de produtores e celebridades no carnaval vai muito além da diversão. A logística de deslocamento para esses profissionais, que se desdobram enquanto os foliões curtem a festa, precisa ser muito bem programada.

    De olho nesse público, a Líder Aviação investiu em uma campanha e está oferecendo condições especiais durante todo o período da folia. A expectativa é realizar voos entre as capitais mais badaladas – como Rio de Janeiro, São Paulo e Recife –, partindo de seus hangares espalhados pelo país, com todo conforto, segurança e agilidade.

    Em apenas duas horas, é possível, por exemplo, decolar da capital carioca e chegar a Salvador para colocar o bloco na rua. E se surgir um convite de última hora, isso não é problema quando se pode contar com a aviação executiva. Basta solicitar um voo e, em apenas uma hora e meia, a Líder estará pronta para decolar. A reserva de voos pode ser feita pelo telefone 0800 970 2020 ou via email.

                                                          Clique e leia gratuitamente todas as edições da aviação e mercado

    De olho na segurança

    Em períodos de alta demanda por viagens, os usuários da aviação executiva devem ter ainda mais cuidado com o taxi aéreo pirata, feito por aeronaves privadas, que coloca muitas vidas em risco. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) recomenda que, antes de se contratar um voo, o usuário verifique, no próprio site da agência, se a companhia está autorizada a prestar tal serviço. Isso porque as empresas devidamente homologadas para táxi aéreo devem seguir uma série de normas para garantir a segurança de cada missão, regras que nem sempre são seguidas por operadores privados.

    “Seja para realização de voos panorâmicos ou para se deslocar a negócios ou lazer, cumprimos e inclusive vamos além dos requisitos técnicos e operacionais exigidos pela Anac, que frequentemente fiscaliza o nosso trabalho”, ressalta a diretora geral de manutenção, fretamento e gerenciamento de aeronaves, Maria Lúcia Renault.

    A prática irregular de táxi-aéreo é uma infração ao Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA). Para reportar essa prática ilegal, a Anac disponibiliza um canal de denúncias online e um número de telefone dedicado (163).

    Deixe uma resposta