Internet Society (ISOC), uma organização sem fins lucrativos dedicada a garantir o desenvolvimento, a evolução e o uso aberto da Internet, divulgou um relatório inédito com o objetivo de ponderar sobre o futuro da Internet. Intitulado “Paths to our Digital Future” (“Caminhos para nosso futuro digital”), o Relatório Global da Internet de 2017 analisa a Internet nos próximos cinco a sete anos e identifica os fatores que vão moldar seu futuro.

O relatório revela uma mistura de desafios e oportunidades na proteção da Internet para a próxima geração e faz recomendações quanto aos passos que podem ser dados hoje para cumprir a promessa da Internet para todos, em todo lugar.

O Relatório Global da Internet de 2017 leva em consideração as muitas forças que estão moldando a Internet hoje, da Inteligência Artificial (IA) e das ciberameaças aos padrões da Internet e à Internet das Coisas (Internet of Things, IoT), passando pela economia da Internet e o papel cada vez mais importante do governo. A análise explora como essas forças vão impactar áreas essenciais, incluindo divisões digitais, liberdades e direitos pessoais, além da mídia e da sociedade. Juntas, essas forças modificarão a Internet drasticamente nos próximos anos.

Algumas das principais conclusões do relatório foram:
A IA e a IoT mudam vidas, mas podem ser transformadas em “ferramentas de uma sociedade da vigilância”

A Inteligência Artificial e a Internet das Coisas detêm um imenso potencial de simplificar e melhorar a vida das pessoas — mas somente se a ética orientar seu desenvolvimento tecnológico e guiar seu uso.  Como a IA e a IoT permitem coletar quantidades imensas de informações pessoais, existe um risco de que a falta de proteções adequadas e controle do usuário possa criar uma “sociedade da vigilância”.
Maiores preocupações com segurança podem prejudicar a liberdade e os direitos pessoais 

Problemas de cibersegurança vão pressionar governos a tomar decisões que podem destruir a governança global aberta e distribuída da Internet. Medidas que podem ter a intenção de garantir a segurança do ciberespaço podem minar direitos e liberdades pessoais. Sem uma mudança de rumo, a liberdade online pode estar se aproximando de um ponto de declínio irreversível.
Otimismo ainda reina

Usuários mais jovens e os de países em desenvolvimento estão especialmente otimistas com o futuro da Internet e a possibilidade de usar a tecnologia para melhorar sua vida e construir seu futuro.
A natureza da divisão digital vai mudar

Com a Internet transformando todos os setores da economia global, as divisões digitais do futuro não aparecerão apenas no acesso à Internet, mas no hiato entre as oportunidades econômicas disponíveis a alguns e indisponíveis a outros.  O elo entre segurança e prosperidade econômica crescerá, levando a uma possível divisão de segurança que separa as pessoas e os países que conseguem proteger seus ativos digitais dos que não conseguem.

O relatório destaca que a implantação avançada da Internet das Coisas e da Inteligência Artificial transformará economias e sociedades inteiras nos próximos anos, com a automação e a convergência dos mundos físico e digital. Essa transformação vai modificar a natureza da divisão digital na forma com que ela tem sido definida historicamente, com as pessoas que têm acesso à Internet em contraponto às que não têm.

Embora muitos membros da comunidade global da Internet Society tenham afirmado que acreditam que a Internet está enfrentando um período de mudanças nunca visto antes, essas mesmas pessoas também reafirmaram a crença nas ideias centrais que vêm moldando a Internet até agora.

“Nossa extensa pesquisa demonstra claramente que, exatamente como quando a Internet Society foi fundada, 25 anos atrás, as pessoas acreditam que os valores centrais da Internet continuam válidos e respeitados — ou seja, que ela deve ser global, aberta, segura e usada em benefício das pessoas do mundo todo”, afirmou Sally Wentworth, vice-presidente de política global da Internet Society.

Muitas das opiniões expressas no relatório ilustram uma crença sólida e difundida no potencial de que a Internet tem de continuar gerando mudanças positivas na vida das pessoas. Os entrevistados, principalmente jovens de países em desenvolvimento, apontaram o crescimento de novas tecnologias e novos aplicativos como evidência de que a Internet continua alimentando a inovação e ressaltaram os benefícios que a conectividade pode produzir na educação, saúde, prosperidade econômica e mudança social.

No entanto, essas esperanças e crenças são contrabalançadas por um medo amplamente perceptível de que há importantes forças em ação, capazes de minar a promessa da Internet para as gerações futuras. Muitos acreditam, por exemplo, que a liberdade na Internet continuará sendo limitada em todo o mundo por conta da vigilância generalizada, as paralisações da Internet e à regulação de conteúdo. Há ainda aqueles que acham que a área de notícias e imprensa ficará cada vez mais difícil de navegar, tornando ainda mais difícil a separação entre fatos e ficção.

Alguns dos entrevistados demonstraram preocupação com a ameaça das novas divisões e com o fato de como elas não só intensificarão as diferenças entre os países, mas também a sociedade como um todo. Em especial, o relatório explora o surgimento de uma nova divisão de segurança e confiança caracterizado por ameaças cibernéticas que continuam se multiplicando e uma maior discrepância entre usuários que sabem como navegar com segurança e os que não têm conhecimento e recursos para se proteger no mundo online.

“Descobrimos que as pessoas compartilham dois sentimentos simultaneamente e em igual medida: o otimismo e a desilusão quanto ao futuro da Internet. Embora nada sobre o futuro seja garantido, sabemos que a humanidade deve ser o ponto central da Internet do amanhã. A Internet deve continuar ajudando as pessoas e criando novas possibilidades sociais e econômicas para cumprir o objetivo que fundamentou sua criação. Devemos ter atenção aos alertas deste relatório e começar a agir hoje para ajudar a manter a Internet disponível para todos e em todos os lugares no futuro”, acrescentou Wentworth.

O relatório descreve as principais recomendações para empresas, organizações de defesa, governos e outros envolvidos para ajudar a garantir que a Internet do futuro permaneça focada no usuário e funcionando em prol de todos.

Para baixar ou conferir o Relatório Global da Internet de 2017 online, acesse: www.internetsociety.org/globalinternetreport/2017.

Como parte da comemoração dos seus 25 anos de existência, a Internet Society está promovendo um fórum para discutir as conclusões do Relatório Global da Internet no Luskin Conference Center, na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, no dia 18 de setembro, às 15h. O debate será transmitido em livestream.com/internetsociety/isocreport2017.