Nanotubos de carbono podem ser o futuro das aeroestruturas

    Engenheiros aeroespaciais do MIT (Massachusetts Institute of Technology) descobriram uma maneira de aglutinar lâminas de compósitos para obter um material que é 30% mais forte e resistente a danos do que os demais já utilizados. A menor vulnerabilidade do material pode eliminar um dos grandes problemas atuais do setor: os já usados reduzem em até 20% o peso das aeronavez, mas quebram em impactos mais fracos, quando comparados ao descoberto.

    Para obtê-lo, os pesquisadores do MIT fixaram as lâminas do compósito entre si utilizando nanotubos de carbono: rolos de carbono da espessura de um átomo que, não obstante sua estrutura microscópica, são incrivelmente fortes. Os nanotubos, semelhantes a minúsculos pontos de costura verticais, penetram nos vazios de cada lâmina e agem como “microandaimes” para mantê-las unidas, evitando que se desfolhem.
    Fonte Aeromagazine

    Deixe uma resposta