Está cada vez mais comum o surgimento de desagradáveis ‘surpresas’ às tripulações, causadas por passageiros inconvenientes que, de alguma forma, comprometem a “boa ordem do voo e a disciplina” a bordo. Muitos deles famosos, que, após causarem algum tumulto, dizem ser vítimas de despreparo da tripulação, de preconceito ou de qualquer outro pretexto imputável aos tripulantes.

Embora as empresas se esforcem para evitar ou minimizar acontecimentos do tipo, em algumas situações é praticamente impossível chegar a uma rápida e tranquila solução diante de um passageiro truculento, que se nega a seguir as normas e recomendações de segurança transmitidas pela tripulação, não restando alternativas ao comandante senão o desembarque da(s) pessoa(s) envolvida(s) e eventual auxílio policial.

A grande questão é: O comandante tem o poder de desembarcar passageiros nestes casos?

Confira a resposta completa em Aviação e Mercado 6 CLIQUE AQUI