Jato supersônico da Boom parte de onde o Concorde parou

    Você poderá voar de Nova York a Londres na metade do tempo.

    Texto Roberto Baldwin @strngwys, Tradução e adaptação Claudia Terra #cmdterra

    A Boom, empresa especializada em jatos supersônicos, fundada pelo CEO Blake Scholl, quer que os passageiros voem quebrando a barreira do som. Desde o desaparecimen-to do Concorde, jato supersônico de passageiros, as companhias aéreas comerciais não ofereceram nenhuma alternativa mais rápida para voar do ponto A ao ponto B.

    A equipe da Boom quer ressuscitar a velocidade em que o Concorde falhou, quer um jato sem os problemas que levaram esse jato ao fracasso. Essa aeronave utilizava uma quantidade incrível de combustível, mesmo antes de atingir a velocidade do som e foi proibitivamente caro custando $ 10.400 (£ 8,292) para um único bilhete de ida e volta entre Nova York e Londres.

    Nós conversamos com Scholl sobre a sua empresa, sobre o protótipo que está constru-indo e como ele será capaz de voar de Nova York a Londres e voltar no mesmo dia.
    Esta entrevista foi editada e condensada.

    Fale-me um pouco sobre a Boom, sobre o seu plano de jatos supersônicos.

    Então, há 60 anos e após o início da era do jato e ainda estamos vivendo na era do jato sem evolução. Nós não melhoráramos as viagens supersônicas em meio século. É meio constrangedor. Nossos telefones estão ficando melhores, os computadores estão ficando cada vez melhores e estamos prestes a receber carros autônomos. Claro, nos-sos aviões têm obtido mais segurança e eles ficaram mais eficientes, mas eles não fize-ram grandes avanços, não melhoram em seu trabalho básico de tornar o acesso pelo mundo mais rápido.
    Se você olhar para trás na história, tivemos a viagem supersônica com Concorde, mas isso nunca levou a nenhum lugar. Era muito caro para ser acessível à maioria das pes-soas.

    O que estamos fazendo, em essência, é tomar esses últimos 50 anos de progresso fun-damental na aviação com aerodinâmica, materiais, de propulsão, de construção e de aeronaves que são mais eficientes do que o Concorde, de modo que a viagem super-sônica possa se tornar rotina para muito mais pessoas.
    Eu sei que um dos problemas com Concorde era …. Ele estava queimando tanto combustível, porque era uma aeronave supersônica. Será usado menos combustível ou uso mais eficiente?

    1111_boomairplanes-1

    Estamos usando o combustível de modo mais eficiente. Concorde era a melhor tecno-logia dos anos 50 e 60. Os motores tinham pós-combustão sobre eles que é, literal-mente, como despejo que o combustível bruto em exaustão do jato possa obter um pouco mais de pressão. Hoje temos uma tecnologia muito diferente do motor de jato chamado turbofan, é o que está em cada grande avião comercial. Hoje é significativa-mente mais eficiente no combustível e também torna a aeronave mais silenciosa.

    É uma história semelhante com a aerodinâmica e materiais que são de um peso mais leve. Isso tudo acrescenta dramaticamente mais eficiência de combustível. Por outro lado, uma vez que você consegue, em eficiência de combustível, você pode obter os preços das passagens até o ponto em que muito mais pessoas possam se dar ao luxo de voar mais rápido. No Concorde havia, sempre, apenas uma dúzia de aviões constru-ídos. Era um produto acabado com nenhuma economia em escala. Mas quando você faz bilhetes mais acessíveis, então você obtém economia de escala. Cria-se um ciclo virtuoso, em vez de, um ciclo vicioso.

    Você está planejando lançar algo no final de 2017. O que será isso?

    Estamos nos aproximando para isso! Nós fizemos o projeto de alto nível para o pri-meiro avião de passageiros. É um avião de 45 lugares, que vai mach 2.2. É 2,2 vezes a velocidade do som, que é duas vezes e meia mais rápido do que qualquer outra coisa que voe hoje. Mas a primeira coisa que estamos realmente construindo é o que cha-mamos o XP1, o demonstrador super sônico. Isso é o que estamos revelamos oficial-mente em 15 de novembro. É uma versão 1/3 escala de todo o avião que comprova toda a tecnologia principal para tornar o projeto realidade. A produção em escala leva-rá mais alguns anos.
    Fale-me um pouco sobre o envolvimento de Richard Branson.

    A história que existe por traz de Richard tem sido a sua paixão por melhorias no trans-porte aéreo por décadas. Ele tentou comprar Concordes para Virgin, eu acho que em duas ou três ocasiões separadas e não os conseguiu. Parte da motivação para a Virgin Galactic é que ele queria ver viagens com maior velocidade do ponto A para o B. En-tão, nós fomos capazes de entrar em contato com ele e sua equipe e dissemos: “Ei, temos uma maneira de fazer isso! Não projeto de décadas e nenhum avanço, que não tem nada de eficiente, o nosso projeto é eficiente e de longe, mais econômico do que Concorde “. Claro que ele ficou muito animado com isso.

    Onde foi o realizado o evento de 15 de novembro será realizada ?

    No nosso hangar, ao sul de Denver, no aeroporto de Centennial. Minhas raízes estão Silicon Valley. Mas, o Vale do Silício não é especificamente o melhor lugar para cons-truir uma nova empresa de aviação, para isso, mudamos para Denver. Temos um han-gar com uma pista longa de testes e acesso direto ao espaço aéreo de teste, onde es-tamos construindo e iremos voar o primeiro avião.

    1111_boomairplanes-3

    Em Denver, por causa do que o espaço aéreo de teste, você tem acesso outros pro-fissionais que irão ajudá-lo nesse projeto ou você esta levando profissionais do Vale do Silício?
    As pessoas vêm de todo o país para ser uma parte deste. Isso é realmente uma das coisas que mais me orgulho. Reunimos uma equipe realmente fantástica que tem fôle-go para sair e construir o que projetamos.
    Nosso engenheiro chefe, Joe Wilding, é certificado para múltiplos aviões de passagei-ros pela FAA. Nosso chefe de propulsão possuía a metade dianteira do motor do caça de ataque conjunto e isso é um projeto de motor supersônico. Nossos ergonomistas vieram da Gulf Stream, onde ele possuía todo o seu programa de aeronave supersô-nica. Acabamos de contratar um cara para sistemas da SpaceX , que anteriormente fazia parte da segunda fase elaboração do Falcon 9 e contribuiu para a tecnologia cha-ve e temos o primeiro estágio de um foguete. Eu poderia continuar assim, é uma equipe com grandes profissionais, equipe de estrelas.

    Uma das grandes coisas de se estar trabalhando em uma missão ambiciosa é que você pode atrair as melhores mentes do planeta para vir ajudá-lo a tornar tudo real. De uma maneira que tudo se torna possível de modo mais fácil.

    Quando você se aproximou dos primeiros profissionais, o que você fez para conven-cê-los a aderir à Boom?
    Houve um momento crítico no início da formação da empresa, onde tivemos meia dú-zia de candidatos para os primeiros papéis na empresa. Voamos com todas elas para o Vale do Silício e alguns amigos de capital de risco nos deram algumas mesas de confe-rência e uma sala por alguns dias. Tivemos no quarto: o inventor do primeiro jato pes-soal, o engenheiro chefe da nave espacial Virgin Galactic 1 e Spaceship 2, o engenheiro chefe para Adam Aircraft, eu poderia continuar, há vários outros. Foi realmente um bom quarto com pessoas e nós sentamos e eu disse: “vamos descobrir se isso é real-mente possível.”

    A conclusão a que chegamos foi que nós estamos falando sobre fazer o que era viável com a tecnologia e que já foi comprovado em outras aeronaves. O que estamos fazen-do, basicamente, está levando a melhor tecnologia, o estado da arte da tecnologia e trazê-lo para um novo design que lhe dará uma capacidade realmente diferente para viagens. Os comentários durante a sessão foram coisas como: “ideias de avião a partir de caras de internet geralmente não são todas boas, mas este realmente faz sentido.”

    Assim você trouxe a equipe e juntos certificou-se de que era um plano viável?
    Sim! Você poderia dizer que a partir de uma sala com um grupo de pessoas bem suce-didas, realmente brilhantes, que realmente, realmente sabe em que você deseja traba-lhar. Nós contratamos duas pessoas fora dessa sala e elas tornaram-se os nossos en-genheiro chefe e nossa CPO.

    screenshot2016-11-1016-24-46-1
    Existe alguma preocupação sobre encontrar os passageiros que querem este tipo de serviço?
    Eu não encontrei um único passageiro que não gostaria de chegar ao fim da viagem em metade do tempo. É uma quantidade enorme de passageiros que desejam uma melhor experiência de viagem e usar menos tempo para estarem em seus destinos.

    Para dar alguns exemplos concretos, isto não é apenas sobre, “oh deixe-me salvar uma hora aqui ou uma hora.” Isto é sobre o que você pode fazer em um dia. De Nova York a Londres a viagem será e 3 horas e 15 minutos em vez de 7 horas. Então, se você está no primeiro voo do dia você chega a Londres a tempo de fazer uma reunião no final da tarde. Você pode sair para jantar, para um bar e pegar um voo de regresso e estar em casa a tempo de colocar seus filhos na cama. Então, nós estamos poupando-lhe pelo menos um dia inteiro. Poupando-lhe uma noite em um hotel. Poupando-lhe ter que dormir em um avião.

    Gostou da matéria? No final dessa página tem um campo para comentário, deixe o seu e nos ajude a melhorar cada vez mais.

    1 COMENTÁRIO

    Deixe uma resposta