A empresa Imagem Aviação Agrícola, o corpo de Bombeiros de São Paulo e Defesa Civil do Estado estão realizando, até a próxima segunda-feira (dia 24), uma série de treinamentos de combate a incêndios com aeronaves no interior do Estado. Ao todo, serão três encontros, que começaram na terça-feira (18) em São José do Rio Preto (fotos). Hoje (dia 20) a movimentação está ocorrendo em Fernandópolis e, no dia 24, o treinamento será em Catanduva. O objetivo é afinar o entrosamento entre os pilotos e técnicos da Imagem com as equipes locais de bombeiros, para os casos de acionamento em incêndios de áreas de mata.

Segundo o oficial de relações públicas dos bombeiros, Capitão Edmilson Santana Branco, o treinamento envolve quando e como solicitar o apoio aéreo, tipos de operações coordenadas com as equipes em terra e procedimentos de pista montagem da base de abastecimento e sua operacionalização, entre outros aspectos da operação. Os bombeiros e agentes de Defesa Civil também têm palestra sob a história da aviação agrícola e o funcionamento do avião, além de treinarem operação de resgate do piloto, para o caso de acidente.

Desde o último dia 8 a Imagem Aviação é responsável por operações aéreas de combate a incêndios na região, que abrange também municípios como Araçatuba e Ribeirão Preto – cerca de 400 quilômetros e noroeste da capital. Para isso a Imagem foi contratada pelo Estado, após uma licitação. Segundo o sócio-gerente da empresa, Jorge Humberto Morato de Toledo, a empresa tem três aeronaves Air Tractor AT-502 de sobreaviso (cada uma com capacidade para cerca de 2 mil litros de água ou retardante), “para atuação contra chamas em reservas estaduais, áreas de proteção permanente e outros pontos de mata”.

PRERROGATIVA DO SETOR AEROAGRÍCOLA

No mundo, desde 1931 aviões são usados em operações e combate a incêndios em campos e florestas. No Brasil, há quase 50 anos esse tipo de operação é oficialmente uma das prerrogativas da aviação agrícola (conforme o Decreto-Lei nº 917, de 7 de outubro de 1969). E diversas vezes o setor tem tido papel fundamental na proteção das principais áreas de preservação do País, desde a Reserva do Taim, no Rio Grande do Sul, até o Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, em Minas Gerais, passando por áreas em vários outros Estados.

Pelo contrato atual, entre a Imagem Aviação e o governo paulista, sempre que receber um chamado, a empresa desloca aeronaves até o teatro de operações, onde os bombeiros ficam encarregados de fornecer água e/ou retardante. O sistema já foi colocado em prática no último dia 13, em um incêndio que atingiu uma área de preservação permanente (APP) entre as cidades de Catiguá e Tabapuã. As chamas estavam em uma área de difícil acesso e o Corpo de Bombeiros acionou o apoio aéreo.


Um avião da empresa realizou seis lançamentos de uma mistura de água e 1% de espuma, para o combate às chamas, coordenado pelos bombeiros em terra. Com isso, foi possível extinguir as chamas que atingiram um terço de uma área de 30 hectares.