Recém-instalada no Parque Tecnológico de São José dos Campos,
empresa vai ingressar nos setores naval, automotivo e óleo e gás, operando de acordo com o conceito de smart industry.

A Akaer, especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras para os setores aeroespacial e de defesa, transferiu sua sede para o Parque Tecnológico de São José dos Campos, onde ocupa uma área de 103 mil m² (sendo 18 mil m² de área construída, cerca de oito vezes maior que que a sede antiga). Fundada em 1992, a Akaer tem hoje 350 funcionários, a maioria engenheiros e projetistas.

A nova sede da empresa conta com instalações industriais, escritórios e laboratórios já equipados que serão utilizados na estruturação de um moderno complexo de desenvolvimento de tecnologias avançadas.

“Há um cluster aeroespacial único no hemisfério sul e que fica baseado em São José dos Campos, sede de diversas empresas deste setor e também de outros segmentos. A cidade conta com instituições de ensino que formam excelentes profissionais e são parceiras no desenvolvimento de tecnologias. Além do mais, a infraestrutura de nossa nova sede é moderna e possui tamanho suficiente para suportar nosso plano de expansão”. De acordo com Cássio Grasselli, diretor de marketing da empresa, outra vantagem da nova sede é a proximidade com clientes, parceiros e fornecedores que já estão instalados no Parque Tecnológico.

Ele explica que a nova sede permite um aumento substancial da capacidade de desenvolvimento, simulação, testes de certificação, montagem e integração de sistemas complexos de indústrias das áreas aeroespacial, de defesa e de energia. Também possibilita maior capacidade de gerenciamento das cadeias de fornecimento.

“Além do desenvolvimento de tecnologias de ponta para essas indústrias, a empresa ampliará sua atuação para os setores naval, óleo e gás, e automotivo. Também como parte da estratégia de crescimento e diversificação, a Akaer desenvolverá sua fábrica do futuro, ou manufatura inteligente, num prazo de cinco anos, reduzindo o ciclo de montagem e aumentando a qualidade nas etapas de produção de alto valor agregado”.