O magnifico e imponente Boeing 747 está próximo ao fim da carreira e para de voar em varias companhias do mundo.

E esta semana foi a Air France que anuncio o fim de quase meio século de serviços do “Rei dos Ares”.

O último voo comercial de longo alcance aconteceu no dia 11 de Janeiro entre o México e a capital francesa e dois voos comemorativos de despedida foram realizados neste dia 14 decolando de Charles de Gaulle, voando pela França, Portugal e regressou ao aeroporto de origem.

O primeiro voo do B747 pela Air France ocorreu em Junho de 1970 entre Paris e Nova Iorque. A companhia operou 52 Boeing 747, mas não se interessou nos recentes B747-8, trocando-os pelos B777 e os Airbus A380.

Sobre o B747

Em 9 de Fevereiro de 1969 que o 747 fez o seu primeiro voo, sobrevoando a cidade de Everett, em Washington. Este dia ficará marcado para sempre na aviação mundial, pois estava nascendo ali o “Rei do Ares “, e reinou soberano por mais de quatro décadas. Foram fabricados 1.539 aparelhos entre 1969 e 2015 que voaram em todo o mundo, inclusive no Brasil, nas asas da Varig.

11217936_10156332664390526_7957511414575092034_o

Comercialmente, o primeiro voo ligou Nova Iorque a Londres no dia 22 de Janeiro de 1970 e foi operado pela transportadora norte-americana Pan American Airways, que acabou por apresentar falência em 1991.

O Boeing 747, que ficou conhecido como Jumbo devido sus grandeza, é uma aeronave widebody  com um convés superior, onde se situa o “cockpit”, e a primeira classe, que o fez com que seja um dos aparelhos mais facilmente reconhecíveis do mundo. Este traço distintivo fez, na altura, com que o aparelho tivesse mais de o dobro da capacidade do Boeing 707, um dos aviões com mais capacidade nos anos 60. Com quatro turbofans, atinge velocidades de quase mil quilômetros por hora e tem um alcance de 13.450 quilômetros e pode transportar mais de 450 passageiros ou 122 toneladas de carga, tem uma envergadura de 60 metros, comprimento de 70 metros e pesa mais de 330 toneladas.

O Jumbo já foi  utilizado para os mais diversos fins: Comerciais, transporte de carga, governamentais e militares e até aeroespaciais nos anos 70. E como não seria diferente o 747 apareceu em vários filmes.

A Boeing também anuncia que o 747 pode estar prestes a extinção. A fabricante norte-americana só tem encomendas para continuar a produção do avião até 2017. Ultimamente o Jumbo  tem perdido muito espaço para outros aparelhos, como o Boeing 777 ou o Airbus A350, aviões que podem cobrir praticamente a mesma distância de voo do 747 consumindo menos combustível.

A Boeing tem reduzido drasticamente a produção deste aparelho, sendo que nos últimos dois anos só foram vendidos três novos B747 e confirmou que, a partir de Março, vai começar a montar apenas um 747 por mês, dando assim o fim de uma lenda da aviação mundial.

Fonte: Air France – Boeing | Fotos de Air France