O Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, completa nesta terça-feira (12) 80 anos de operações. Para marcar a data, a Infraero anunciou que prepara uma concorrência pública para ampliar e reformar o terminal. A concorrência deve ocorrer no segundo semestre e as obras devem ser concluídas em 2018 ou 2019.

O atual terminal deverá aumentar dos atuais 64,5 mil m² para 100,8 mil m², ampliando sua capacidade de 17,1 milhões passageiros/ano para 25 milhões. A obra prevê ainda 10 novas pontes de embarque (hoje há apenas 12). Outra novidade será a construção de um novo edifício-garagem com ao menos 3.000 novas vagas. Ao lado, estão reservados 10,7 mil m² para um empreendimento comercial –um hotel, um centro empresarial ou shopping; a decisão ficará a cargo do vencedor dessa concorrência pública.

Como a estatal está sem caixa para tocar a obra e o governo federal não pretende privatizar o aeroporto, a Infraero pretende passar a iniciativa privada apenas a área comercial do aeroporto, mesmo modelo que pretende adotar no Santos Dumont, do Rio. A vencedora ficaria com as receitas comerciais por 25 anos e em troca teria que fazer a obra.

De acordo com a empresa, já há interessados no projeto, entre eles administradores de shopping center, concessionários de aeroportos e fundos de investimento. Empreiteiras poderão participar comprovando que possuem experiência já em algum negócio.

Com essa nova reformulação, haverá uma pressão para que Congonhas receba mais voos. Desde o acidente da TAM, em 2007, uma das duas pistas deixou de ser usada pela aviação regular, o que acabou reduzindo a capacidade do aeroporto.