Aviação comercial brasileira vive o período mais seguro da história

    Dados do panorama ABEAR 2014 apontam a média acumulada de acidentes aeronáuticos de 1,5 ocorrência para cada milhão de decolagens realizadas no Brasil entre 2008 e 2014. O índice é quase a metade da média mundial, de 2,8 acidentes por milhão de decolagens em 2014 (por serem ocorrências muito raras, para os países, quando analisados isoladamente, o indicador de acidentes por milhão de decolagens utiliza períodos anuais acumulados).

    Segundo o consultor da diretoria de Segurança e Operações de Voo da ABEAR, Paulo Roberto Alonso, a segurança de voo é o atributo mais importante do setor aéreo e as estatísticas demonstram que as companhias nacionais melhoram o seu desempenho consistentemente ao longo do tempo.

    Terceiro maior mercado mundial em número de pessoas transportadas, o transporte aéreo regular de passageiros no Brasil encerrou 2015 sem qualquer acidente (com ou sem fatalidade), divulgou hoje a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Foi o melhor resultado na história da aviação civil nacional e o quarto ano consecutivo sem registro de fatalidades. Se consideradas exclusivamente as grandes companhias aéreas, ou seja, aquelas com expressiva participação de mercado, o período sem qualquer registro sobe para oito anos.

    Alonso ressalta, ainda, que além da qualidade das operações das companhias em busca da excelência em segurança, o ambiente legal e regulatório também colabora para que os índices sejam sempre altos.  “A prova disso foi a avaliação da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI, entidade vinculada à Organização das Nações Unidas), que colocou o Brasil como quarto melhor posicionado em termos globais”, disse Alonso.

    Esse ranking divulgado pela OACI deixou o Brasil atrás apenas da Coreia do Sul, Cingapura e Emirados Árabes Unidos e significou um salto de 17 posições, já que o país ocupava a 21ª colocação em 2009.

     

    Fonte: Abear

    Deixe uma resposta