Familiares de passageiros do voo MH370 processam Malaysia Airlines

    As famílias de 12 passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines entraram com processos contra a companhia aérea no dia 4 de março, quase dois anos após o sumiço da aeronave, para não perderem o prazo para ações legais. O voo MH370 desapareceu no dia 8 de março de 2014 quando ia de Kuala Lumpur a Pequim com 239 passageiros e tripulantes a bordo.

    Várias ações foram apresentadas em tribunais nos Estados Unidos, Austrália, na China e na Malásia últimas semanas. Os alvos dos processos são variados: familiares de dois passageiros ucranianos, por exemplo, entraram no Supremo Tribunal malaio contra a Malaysia Airlines. As famílias de um passageiro russo, um chinês e oito malaios estão processando o governo da Malásia, a empresa aérea, o diretor-geral do Departamento de Aviação Civil e a Força Aérea malaia.

    Um pedaço de uma asa encontrado em uma praia da ilha Reunião, na costa de Madagascar, no ano passado é o único destroço do MH370 descoberto até hoje, mas oferece poucas pistas sobre o que de fato aconteceu com o avião. Nesta semana, um destroço encontrado na costa sudeste da África foi enviado à Austrália para ser analisado.

    Deixe uma resposta