Airbus recebe sinal verde para os satélites gêmeos GRACE-FO

    Depois de uma bem-sucedida campanha de testes de um ano de duração realizados pela Airbus no IABG em Ottobrunn, perto de Munique, os satélites gêmeos GRACE-FO (Gravity Recovery and Climate Experiment Follow-On) em breve viajarão para o seu local de lançamento na Califórnia.

    Durante os testes, os satélites de medição de gravidade, que acompanharão o movimento contínuo da água líquida, gelo e da terra firme devido à mudança de estações da Terra, clima e processos climáticos, terremotos e até atividades humanas, foram submetidos a condições semelhantes às que experimentarão durante o seu lançamento e em sua órbita terrestre baixa.

    Ambos os satélites, cada um pesando 600 quilos, serão transferidos para o local de lançamento na Base Aérea de Vandenberg na Califórnia em dezembro, para iniciarem os preparativos finais para o lançamento.

    O projeto é uma parceria do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, na Califórnia, com o Centro Alemão de Pesquisas de Geociências (GFZ, Potsdam). Ambos os satélites de pesquisa GRACE-FO serão lançados em uma órbita polar a uma altitude de cerca de 500 km e a uma distância de 220 km entre si.

    Ambos os satélites farão medidas contínuas e muito precisas das variações de distância entre si e elaborarão mapas mensais das mudanças do campo gravitacional da Terra, que são usadas para rastrear o movimento mensal de água líquida, gelo e terra firme.

    O lançamento dos satélites gêmeos GRACE-FO está planejado para a primavera de 2018 no hemisfério norte, em uma missão prevista para durar pelo menos cinco anos.

    Um sistema de posicionamento global e um sistema de microondas para determinação de distância medem a distância entre os satélites com precisão de alguns micra, e um acelerômetro sensível determina os efeitos não gravitacionais como arrasto atmosférico e radiação solar.

    Os satélites GRACE-FO também apresentarão um elemento adicional: um novo instrumento mais preciso a laser para a medição da distância entre os satélites, desenvolvido por uma joint-venture alemã/americana, que será testado para uso em futuras gerações de equipamentos de pesquisa gravitacional.

    Diariamente, cada um dos satélites também faz até 200 perfis de distribuição de temperatura e conteúdo de vapor de água na atmosfera e na ionosfera, para auxiliar na previsão do tempo.

    Os satélites GRACE alemães/americanos, que estão no espaço desde 2002, são os únicos satélites capazes de monitorar o transporte de massa no sistema terrestre. Isso inclui mudanças na distribuição continental de água, derretimento de massas de gelo polar ou de grandes geleiras interiores, e redistribuições de massas depois de terremotos.

    Os dados dos satélites GRACE são usados para detectar extrações de água subterrânea, monitorar secas e inundações, melhorar modelos hidrológicos e quantificar precisamente a contribuição das geleiras terrestres e do derretimento do gelo polar ao aumento do nível dos mares.

    Os conjuntos de dados de longa duração são vitais para a obtenção de informações estatisticamente significativas a respeito de mudanças e variações climáticas. A missão GRACE-FO continuará o importante trabalho iniciado pelos GRACE e coletará variáveis climáticas essenciais.

    Deixe uma resposta