A United Nations Aviation Agency anunciou, no início de março, mudanças que exigirão que aeronaves relatem suas localizações em tempo real.

A agência está implementando três alterações na Convenção de Chicago, que especifica as regras para a operação de aeronaves. Até 2021, as companhias aéreas serão obrigadas a realizar rastreamento de socorro em dispositivos autônomos, enviando a localização a cada minuto em caso de perigo.

Aeronaves também serão obrigadas a fornecer dados do gravador de voo em tempo hábil, e gravações de voz da cabine serão estendidas para um período mínimo de 25 horas para capturar a totalidade do voo, bem como os preparativos.

Olumuyiwa Benard Aliu, presidente do Conselho da International Civil Aviation Organization (ICAO) que integra a United Nations Aviation Agency, disse que as novas regras vão “garantir que desaparecimentos semelhantes ao do avião da Malaysia jamais se repitam”. As novas regras são baseadas em desempenho e, por isso, as companhias aéreas estão autorizadas a escolher a tecnologia que preferirem.