Companhias aéreas tem que se preparar para atender os viajantes jovens!

     

    Com quem os jovens preferem viajar?

     

    Superando a presença de amigos e companheiros, a família é a grande aposta dessa nova geração

     

    O dia a dia, na maior parte das vezes, é estressante e corrido. É preciso enfrentar filas, trânsito, sobrecarga de trabalho e uma rotina repleta de afazeres. Para fugir dessa realidade e desfrutar de um merecido descanso, muitos aproveitam o tempo livre para fazer viagens. Contudo, qual será a melhor companhia para dividir esse momento? Os amigos, namorados ou ninguém? Uma pesquisa realizada pelo Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios, revela a preferência dos jovens.

    A pergunta “Como você prefere viajar?” foi direcionada a 23.600 respondentes, entre 15 e 26 anos, em todo o Brasil, durante 9 e 20 de janeiro. Dentre as respostas, uma se manteve no topo desde

    Revista Multimídia Grátis para você

    o início e foi eleita como a mais prazerosa por 53,83% ou 12.711 pessoas. Para essa parcela, estar “com a família”, faz qualquer destino ficar ainda melhor.

    Para a gerente de treinamento do Nube, Eva Buscoff, pode e deve-se aproveitar a experiência para desfrutar da segurança proporcionada pelos pais, conhecer novos lugares, se divertir e estar mais próximo dos familiares. “Na atualidade, somos tomados por compromissos e responsabilidades cotidianas. É difícil parar para conversar e estreitar relacionamentos. Por isso, essa é uma oportunidade de relaxar, se distanciar das tecnologias e aproveitar com os entes mais queridos. Isso é, emocionalmente, muito saudável”, recomenda.

    Em segundo lugar, partir “com quem tenho um relacionamento” foi a opção mais votada por 20,42% (4.820). Segundo a especialista, viajar em casal é uma grande chance de amadurecimento e excelente meio para conhecer mais a outra pessoa. “Acordar com alguém, fazer todas as refeições e escolher passeios e lugares para visitar, são ações capazes de desenvolver mais entrosamento. Sobretudo, descobrir e lidar com as diferenças desenvolverá habilidades como escuta ativa, negociação, comunicação, empatia, criatividade e flexibilidade”, avalia Eva.

    Na sequência, 19,41% (4.581) apontaram ser “na companhia dos amigos” as vivências mais interessantes. Porém, esse tipo de passeio requer muita responsabilidade e maturidade. “Preocupações envolvendo o bem-estar de todos são essenciais para aproveitar mais”, enfatiza a gerente. Atitudes maduras promovem a integração entre os colegas e melhoram as condições para todos. “Ter uma alimentação saudável, evitar o uso abusivo de álcool e atentar para não estar em situações de risco são passos fundamentais”.

    Por fim, 6,31% (1.488) optaram por desvendar os segredos do mundo “sozinhos”. Apesar de ter sido a alternativa menos votada, é uma das mais enriquecedoras, pois possibilita reflexão e autoconhecimento e exige tomada de decisões cruciais para desfrutar da melhor forma possível. “Muitas competências podem ser desenvolvidas nesse percurso, desde o planejar e organizar até resolução de problemas e conflitos. Viajar desacompanhado envolve o cuidar de si mesmo, de objetos, dinheiro e avaliar ocasiões de perigo”, ressalta a especialista. Logo, esse processo possibilitará ao jovem entender quais são seus limites físicos e emocionais.

    Todavia, só ou acompanhado, utilize toda e qualquer oportunidade para investir em seu currículo. “Em muitas entrevistas, ao questionar seus gostos sobre uma viagem, o selecionador espera ouvir um argumento pautado em política e sociedade. E não apenas um simples, lá é muito bonito e legal”, revela Eva. Portanto, introduza ao seu roteiro passeios culturais, capazes de contribuir para ampliação da identidade e história do lugar e os quais permitam possíveis comparações de crenças e valores.

    Fonte: Eva Buscoff, gerente de treinamento do Nube
    Serviço: Pesquisa revela com quem jovens preferem viajar

    Deixe uma resposta