A Boeing Company esta prestes a completar 100 anos, fundada em 15 de Julho de 1916 por William E. Boeing, em Seattle, Washington, a empresa expandiu ao longo dos anos, e se fundiu com a McDonnell Douglas em 1997. Em 2001, a Boeing mudou sua sede de Seattle para Chicago, Illinois, e é composta de várias unidades empresariais, que são a Boeing Commercial Airplanes (BCA); Boeing Defense, Space & Security (BDS); Engineering, Operations & Technology; Boeing Capital; e Boeing Shared Services Group.

A Boeing está entre as maiores fabricantes mundiais de aeronaves e é a segunda maior empresa de defesa e mercado aeroespacial do mundo.

 

2-boeing-100-years-pontoon-plane-b-w

O hidroavião B & W foi o primeiro modelo de avião produzido por William Boeing e seu parceiro, o tenente da marinha George Conrad Westervelt.

 

Para os que ainda não conhecem, segue um resumo da sua grandiosa história:

Por Jardel Leal – Fotos do Acervo Cronológico Boeing

Tudo começou em Março de 1910,  quando William E. Boeing comprou um estaleiro  em Seattle, que mais tarde se tornou sua primeira fábrica como Pacific Aero Products Co. Boeing, trabalhou inicialmente na indústria da madeira, onde se tornou rico e adquiriu conhecimento sobre estruturas. Esse conhecimento seria inestimável em seu projeto posterior de montagem de aviões.

O primeiro produto da Boeing vou alguns meses após a inauguração da fabrica, tratava-se de  dois hidroaviões construídos com a ajuda de George Conrad Westervelt, um engenheiro da Marinha dos EUA. Boeing e Westervelt decidiram construir o hidroavião  denominado de B&W depois de ter voado em um avião da Curtiss. Boeing comprou um hidroavião “Flying Birdcage” de Glenn Martin (assim chamado por causa de todos os fios que prendem o conjunto) e foi instruído a voar pelo próprio Glenn Martin. Boeing quebrou o Birdcage em um acidente e quando Martin o informou que as peças de reposição não se tornariam disponíveis por meses, ele percebeu que poderia construir seu próprio avião nessa quantidade de tempo. Ele e seu amigo Westervelt concordaram em construir um avião melhor e logo produziram o hidroavião B&W. Este primeiro Boeing foi montado em um hangar do lago localizado em Seattle. Muitos dos planos iniciais da Boeing foram hidroaviões.

Foto do primeira escritório da Boeing e Seattle

Em 1917, a empresa se tornou a Boeing Airplane Company e neste mesmo ano os EUA entraram na I Guerra Mundial, e Boeing sabia que a Marinha dos EUA precisava de hidroaviões para treinamento. Então, Boeing enviou dois novos modelos C para a Marinha que gostou tanto do modelo C que encomendou mais 50. A empresa transferiu suas operações para um local de construção naval maior conhecido como Boeing Plant 1, localizado na parte inferior do rio Duwamish.

Quando a Primeira Guerra Mundial terminou em 1918, um grande excedente de aviões militares usados e baratos inundou o mercado de aviões comerciais, o que impediu as empresas fabricantes como a Boeing de vender qualquer novo avião. Devido a isso, muitas empresas de aviação saíram do mercado, mas outras empresas, incluindo a Boeing, começaram a vender outros produtos. Boeing construiu aparadores, bancadas e móveis, além de barcos de fundo plano chamado de Sea Sleds.

Em 1919, o Boeing B-1 fez seu primeiro voo. Era um barco voador que acomodava um piloto, dois passageiros e correio. Ao longo de oito anos fez vôos de correio aéreo internacional de Seattle a Victoria, British Columbia. Em 24 de maio de 1920, o modelo Boeing 8 fez seu primeiro voo. Foi o primeiro avião a voar sobre o Monte Rainier.

Em 1923, a Boeing começou uma competição contra Curtiss por um contrato de desenvolvimento de um caça para o U.S. Army Air Service. Embora o Curtiss terminou o seu projeto primeiro e foi premiado com o contrato, a Boeing continuou a desenvolver o seu caça PW-9. Esse avião, junto com o Boeing P-12 / F4B, fez a Boeing um dos principais fabricantes de caças ao longo da próxima década.

Em 1925, a Boeing construiu seu avião de correios Model 40 para o governo dos EUA para uso em rotas de correio aéreo. Em 1927, uma versão melhorada deste avião foi construída, oModel 40A. A 40A ganhou o contrato dos correios para entregar entre San Francisco e Chicago. A 40A também tinha uma cabine de passageiros que acomodava dois passageiros.

Nesse mesmo ano, a Boeing criou uma companhia aérea chamada Boeing Air Transport, que se fundiu um ano mais tarde com a Pacific Air Transport e a Boeing Airplane Company. O primeiro voo para a companhia foi em 1 de julho de 1927. A empresa mudou seu nome para United Aircraft and Transport Corporation em 1929 e adquiriu, a Pratt & Whitney, Hamilton Standard Propeller Company, e Chance Vought. United Aircraft, então, comprou a National Air Transport, em 1930.

Em 27 de julho de 1929, o bi plano Boeing 80 de 12 passageiros fez seu primeiro voo. Com três motores, foi primeiro avião da Boeing construído com a única intenção de servir como transporte de passageiros. Uma versão atualizada, o 80A, transportando 18 passageiros, fez seu primeiro voo em setembro de 1929

Em 1933, o revolucionário Boeing 247 foi introduzido, o primeiro avião comercial verdadeiramente moderno.

Em 1933, o  Boeing 247 foi introduzido, o primeiro avião comercial verdadeiramente moderno.

O 247 era um monoplano de metal de asa baixa, que era muito mais rápido, mais seguro e mais fácil de voar que outras aeronaves de passageiros. Por exemplo, foi o primeiro avião de passageiros bimotor que poderia voar com apenas um motor. Em uma era de motores não confiáveis, isso aumentou muito a segurança de voo.Boeing construiu as primeiras 60 aeronaves exclusivamente para operações de sua própria United Airlines. Isso teria ferido gravemente as companhias aéreas concorrentes e foi o típico comportamento anti-competitivo de empresas que o governo dos EUA tentou proibir na época.

Mas a lei de correio aéreo de 1934 proibia companhias aéreas e fabricantes de estar sob o mesmo grupo corporativo, então a empresa se dividiu em três pequenas empresas – Boeing Airplane Company, United Airlines e United Aircraft Corporation, a precursora da United Technologies. Como resultado, William Boeing vendeu suas ações e saiu da Boeing. Claire Egtvedt, que se tornou presidente da Boeing em 1933, tornou-se o chairman também. Ele acreditava que o futuro da empresa era na construção de aviões maiores. O trabalho começou em 1936 na Boeing Plant 2 para acomodar a produção de aeronaves modernas maiores

Boeing_377 Stratocruiser da BOAC

Boeing 377 Stratocruiser da BOAC

Em 1938, a Boeing concluiu os trabalhos em seu Model 307 Stratoliner. Este foi o primeiro avião de cabine pressurizada do mundo e foi capaz de viajar a uma altitude de 20.000 pés (6.100 m) – acima da maioria das turbulências causadas por mau tempo. Ele se Baseou no B-17, utilizando a mesma cauda, asas e motores. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Boeing construiu um grande número de bombardeiros B-17 e B-29. Muitos dos trabalhadores eram mulheres cujo os maridos tinham ido para a guerra. No início de Março de 1944, a produção tinha sido aumentada de tal maneira que mais de 350 aviões eram construídos todos os meses. Para evitar um ataque aéreo, as fábricas tinham sido cobertas com vegetação e itens de terras agrícolas. Durante estes anos de guerra as empresas líderes de aeronaves os EUA colaboraram entre si. O projeto B-17 foi montado também pela Lockheed Aircraft Corp e Douglas Aircraft Company. enquanto o B-29 foi montado também pela Bell Aircraft Co. e por Glenn L. Martin Company. Depois da guerra, a maioria dos pedidos de bombardeiros foi cancelada e 70 mil pessoas perderam seus empregos na Boeing. A empresa teve como objetivo se recuperar rapidamente com a venda de seu Stratocruiser (o modelo 377), um avião comercial de luxo com quatro motores desenvolvido a partir do B-29. No entanto, as vendas deste modelo não foram como o esperado e a Boeing teve de procurar outras oportunidades para recuperar a situação. A empresa vendeu com sucesso derivados militares do Stratocruiser como o C-97 adaptados para o transporte de tropas, e o KC-97 para reabastecimento aéreo.

A Boeing desenvolveu jatos militares, como o B-47 Stratojet e B-52 Stratofortress no final de 1940 e em 1950. Durante os anos 50, a Boeingusou fundos da empresa para desenvolver o 367-80, um avião a jato modelo que levou a construção do KC-135 Stratotanker e o Boeing 707.

A tecnologia de meados dos anos 1950 tinha avançado significativamente, o que deu a Boeing a oportunidade de desenvolver e fabricar novos produtos. Um dos primeiros foi um míssil guiado de curto alcance usado para interceptar aeronaves inimigas. Nesse tempo a Guerra Fria tornou-se um fato, e a Boeing usou sua tecnologia de mísseis de curto alcance para desenvolver e construir um míssil intercontinental.

707_3

Com o 707 de quatro motores e 156 passageiros, os EUA se tornaram o líder na fabricação de jatos comerciais

Em 1958, a Boeing começou a entrega do seu 707, primeiro jato comercial dos EUA, em resposta ao britânico De Havilland Comet, o francês Sud Aviation Caravelle e o soviético Tupolev Tu-104, que eram a primeira geração mundial de jatos comerciais. Com o 707 de quatro motores e 156 passageiros, os EUA se tornaram o líder na fabricação de jatos comerciais. Alguns anos mais tarde, a Boeing apresentou uma segunda versão da aeronave, o 720, que era um pouco mais rápido e tinha menor alcance.

Boeing foi uma grande produtora de motores a reação de pequeno porte durante os anos 1950 e 1960. Os motores representaram um dos grandes esforços da empresa para expandir sua base de produtos além de aeronaves militares após a Segunda Guerra Mundial. O desenvolvimento no motor a gasolina começou em 1943 e turbinas de gás da Boeing foram designados aos modelos 502, 520, 540, 551 e 553. Boeing construiu 2 461 motores antes do final da produção em abril de 1968. Muitas aplicações dos motores a reação da Boeing foram considerados pioneiras, incluindo os primeiros helicópteros e barcos a reação.

O 727 foi um dos aviões comerciais mais vendidos do mundo e ainda hoje voa e vária empresas mundo afora e foi muitos usado no Brasil também

Em dezembro de 1960, a Boeing anunciou o modelo 727, que entrou em serviço comercial de cerca de três anos mais tarde. Varias variantes de cabine e carga foram desenvolvidos para o 727. O 727 foi o primeiro avião comercial a vender 1 000 unidades, e alguns anos mais tarde, a marca de 1 500 foi atingida.

Em 1966, a Boeing inicia a produção do 747. Este foi um desafio monumental de engenharia e gestão, e incluiu a construção da maior fábrica do mundo para construir o 747 em Everett, Washington, uma fabrica que é do tamanho de 40 campos de futebol, e já no próximo ano o Boeing apresentou outro avião de passageiros de curto e médio alcance, o bimotor 737. Que tornou se desde então a aeronave a jato mais vendida na história da aviação comercial. O 737 ainda está sendo produzido, e melhorias contínuas são feitas. Várias versões foram desenvolvidas, principalmente para aumentar a capacidade de assentos e o alcance.

Vista aérea da fabrica em Everett, que detêm o recorde de maior construção do mundo

Vista aérea da fabrica em Everett, que detêm o recorde de maior construção do mundo

As cerimônias de lançamento para o primeiro 747-100 ocorreram em 1968, na nova fábrica gigante em Everett. ( Veja mais sobre o B 747 em nosso outro post em aviação comercial).

Em 1983, a Boeing montou seu 1 000º 737 e durante os anos seguintes, aeronaves comerciais e suas versões militares tornaram-se o equipamento básico da força aérea e das linhas aéreas. Como o tráfego aéreo de passageiros aumentou, a concorrência era mais difícil, principalmente da Airbus. A Boeing tinha que oferecer novas aeronaves, e assim veio o 757 com um único corredor, o  767 com dois corredores, e versões atualizadas e maiores do 737.

Já no ano de 1994, a Boeing apresentou o avião a jato comercial mais moderno na época, o  777, com capacidade de aproximadamente 300 a 370 passageiros em um típico layout de três classes. Tendo o maior alcance entre aviões bimotores do mundo, o 777 foi o primeiro avião da Boeing a apresentar o sistema fly-by-wire e em parte foi concebido em resposta às incursões que estavam sendo feitas pela européia Airbus no mercado tradicional da Boeing. Esta aeronave atingiu um marco importante por ser o primeiro avião a ser projetado inteiramente utilizando técnicas computer aided design (CAD). O 777 também foi o primeiro avião a ser certificado para ETOPS 180 minutos pela FAA logo que entrou em serviço. Também em meados de 1990, a empresa desenvolveu a versão renovada do 737 conhecida como o 737 “Next-Generation“, ou 737NG. Ele se tornou a versão que vendeu mais rápido na história dos 737, e em 20 de abril de 2006 as vendas ultrapassaram as do 737 antigo.

Boeing-sonic-cruiser_Boeing-620x287

A ideia do Sonic Cruiser, um jato que iria viajar abaixo da velocidade do som, reduzindo tempo de viagem intercontinental em até 20 %.

Nesta década passada, em meados de 2000 algumas das maiores cidades dos estados unidos entraram numa grande disputa pela sede da empresa e a vencedora foi Chicago que ofereceu milhares de incentivos fiscais para que o Boeing se estabelecesse ali e de lá para cá a empresa tem sofrido grandes percas no mercado mundial, mas tem trago muitas novidades também. Em 2001, perdeu para sua rival Lockheed Martin na competição feroz para o contrato multibilionário do Joint Strike Fighter. O projeto da Boeing, o X-32, foi rejeitado e o X-35 da Lockheedfoi aceito. Boeing continua a servir como o principal contratante na Estação Espacial Internacional, e vem perdendo terreno para a Airbus e perdeu sua liderança no mercado de aviões comerciais deste 2003.  A Boeing  iniciou vários projeto e logo foram cancelados, como o Sonic Cruiser,  um jato que iria viajar abaixo da velocidade do som, reduzindo tempo de viagem intercontinental em até 20 %.

O B 787 representa o que tem de mais moderno e tecnológico na aviação mundial, o que se aprendeu com o Sonic Cruiser, foi usado no Dreenliner

Posteriormente, a Boeing simplificou a produção e voltou sua atenção para o novo modelo, o Boeing 787 Dreamliner, utilizando muito da tecnologia desenvolvida para o Sonic Cruiser, mas para uma aeronave mais convencional projetado para a máxima eficiência. A empresa também lançou novas variantes de seus modelos bem sucedidos 737 e 777. O 787 provou ser escolha muito popular com as companhias aéreas, e ganhou um número recorde de encomendas pré-lançamento. A Airbus de imediato anuncio um rival para o 787, o A350, uma versão melhorada do A330. O 787 está em plena produção e é o carro chefe da Boeing na atualidade.

Uma empresa desta envergadura e trajetória, mais do que merece estar no top da aviação mundial e nunca parou de inovar. Agora só nos resta esperar para ver o que virá nos próximos 100 anos… Parabéns a Boeing!

Fonte: Acervo cronológico Boeing